Mangareva
Polinésia tradicional

UM PARAÍSO DISTANTE E REMOTO

Mangareva

As remotas ilhas Gambier estão a um pouco mais de 1.000 milhas (1.600 quilômetros) a sudeste do Tahiti. A mitologia polinésia fala de Mangareva sendo levantada do piso oceânico pelo semideus Maui. As montanhas de Mangareva se erguem sobre as ilhas circundantes e a lagoa luminosa, como uma grande catedral. Embora tenha sido o centro do catolicismo na Polinésia, o povo de Mangareva retomou um estilo de vida polinésio mais tradicional e a ilha se tornou uma fonte importante da indústria das pérolas taitianas. Juntamente com as fazendas de pérolas e visitas à ilha por terra ou barco, os viajantes também podem explorar o número surpreendente de igrejas, conventos, torres de observação e escolas sobreviventes dos anos 1800. Algumas estruturas ainda estão em uso, como a igreja de São Miguel de Rikitea, onde o altar está incrustado com conchas de madrepérola iridescentes.

Mangareva map

Sobre Mangareva

1,239
POPULAÇÃO
6 / 9,6
MI²/ KM²
RIKITEA
CENTRO ADMINISTRATIVO
4H25
TEMPO DE VOO DO TAHITI

Motivos para ficar em Mangareva

Um grupo isolado de ilhas

O arquipélago Gambier está bem distante da via batida. Os viajantes que visitam essa área se sentem privilegiados por serem recebidos com carinho pelos habitantes locais. As ilhas ainda estão isoladas e oferecem tesouros naturais e culturais, o que cria uma combinação perfeita de bem- estar e uma mudança única de cenário.

Uma lagoa de perder o fôlego e montanhas exuberantes

A lagoa, que recepciona todo o arquipélago, é provavelmente a mais bela de As Ilhas de Tahiti. Transparente e arenosa, turquesa e pontuadao por cabeças de coral, ela exibe uma variedade de azuis que contrastam maravilhosamente com as montanhas verdes deslumbrantes ao redor. Os praticantes de caminhada encontrarão tesouros infindáveis ao explorar Mangareva.

A maior catedral na Polinésia Francesa

Embora Mangareva tenha alguns resquícios pré-europeus de marae e outros artefatos, Mangareva é conhecida pelo patrimônio religioso fascinante do século XIX. É dito que a fé move montanhas. Em Gambier, ela moveu toneladas de corais. Como o berço do catolicismo na Polinésia, Gambier apresenta centenas de construções religiosas construídas por missionários e habitantes da ilha entre 1840-1870. Isso inclui igrejas, presbitérios conventos, escolhas e torres de observação. É possível visitá-los em Rikitea, ‘Akamaru, ‘Aukena e Taravai. Alguns deles estão incrivelmente preservados e, outros, em ruínas. O maior e mais antigo monumento da Polinésia Francesa se encontra, com orgulho, em Rikitea. A catedral de São Miguel (1848) foi reformada mais recentemente em 2012.